quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Grêmio é campeão da Recopa Sul-Americana 2018 com sofrimento nos pênaltis contra o Independiente Tricolor foi melhor o tempo todo, mas precisou das penalidades para resolver o título Na Arena

O Grêmio amassou, desperdiçou chances e foi sempre melhor que o Independiente, mas a taça da Recopa veio apenas nas cobranças de penalidades máximas nesta quarta-feira, numa Arena aflita e lotada. Mesmo com um jogador a mais ao longo de todo o segundo tempo, o Tricolor não conseguiu tirar o 0 a 0 do placar no tempo normal e nem na prorrogação. A esperada taça veio apenas na última das dez cobranças previstas. E veio pelas mãos do goleiro Marcelo Grohe, que fez a defesa redentora. 
Com a obrigação de vencer para confirmar o título, o Grêmio tomou a iniciativa do jogo durante todo o primeiro tempo. O Independiente, por sua vez, era perigoso em rápidas transições nos contra-ataques. Além disso, as travas das chuteiras argentinas também levavam perigo aos gremistas.
Logo aos sete minutos, Éverton perdeu um gol daqueles para definir campeonato com categoria. Luan fez bela finta no meio e tocou para Cícero na entrada da área. O meia tocou para Éverton que correu nas costas da defesa e driblou o goleiro. Só que o garoto chutou fraco para o gol, dando a chance de Amorebieta tirar em cima da linha.
Na resposta dos hermanos, Marcelo Grohe teve que trabalhar. Menéndez recebeu no contra-ataque e lançou Fernandez nas costas da zaga. O atacante chutou à queima-roupa para boa defesa de Grohe. No rebote, Geromel dividiu com Menéndez e ganhou o tiro de meta.
Campaña faz mágica
O Tricolor foi para cima e a Arena prendeu a respiração com três bruxarias dos argentinos que evitara o gol. Éverton roubou bola no erro de passe zaga. Ele driblou dois e rolou para o meio. Alisson bateu em cima da marcação. O rebote voltou para Éverton a dois passos do gol, mas Campaña conseguiu tirar de soco no mais puro reflexo.
Aos 21, Léo Moura sentiu lesão e foi substituído por Paulo Miranda, improvisado na lateral direita. Quatro minutos depois, foi por aquele lado que Fernandez iniciou contragolpe. A bola acabou com Gaibor e Geromel fez falta para evitar o lance de gol. Na cobrança, frontal e na meia-lua, Gaibor bateu com efeito, tirando tinta do poste esquerdo.
Dois lances capitais ainda marcaram o jogo antes do intervalo. Aos 37, Cícero desviou de cabeça para Luan, que correu livre nas costas da zaga. Ele bateu de chapa, tirando do goleiro, mas caprichosamente passou tirando faísca do poste direito. Dois minutos depois. Amorebieta foi afastar bola na área e deixou o pé no tórax de Luan. As travas do jogador ficaram marcadas nas costelas do gremista e o juiz revisou no árbitro de vídeo. Dito e feito, cartão vermelho para o zagueirão pela jogada violenta.
A vantagem numérica após o intervalo fez a bola grudar no pé dos gremistas, com argentinos contentes em defender e esperar algum espaço para contragolpe. A torcida continuava sofrendo em gritos de "uh!", porém, e a bola demorava para ir para a rede.
Tricolor pressiona, mas continua no zero
Aos dois minutos, Éverton tentou o chute da risca da área, pela esquerda, mas parou nas mãos de Campaña. O garoto voltou a desperdiçar aos oito minutos. Tentou lançar Alisson pelo meio, a zaga rebateu e devolveu nos pés do atacante. Na cara do gol, ele chutou em cima do goleiro. Luan pedia na direita livre, mas não levou.
No lado do Independiente o mais perigoso era Meza. Aos 15, ele deslizou por dois marcadores gremistas e chutou forte de fora da área. Grohe fez boa defesa. Na busca do gol, Renato lançou Jael no lugar de Jailson e, depois, Maicosuel no lugar de Alisson.
Com a bola oferecida pelo Independiente chegou um momento em que por cinco minutos o Grêmio teve praticamente 100% da posse de bola. Ao fim desse período, Jael teve a chance ao receber na meia-lua. Só que ao invés do giro com o chute voltou bola com Cícero. A marcação despachou.
Mas Jael chutou, sim. Ele tabelou com Luan e bateu forte da meia-lua. Campaña espalmou bem posicionado. No rebote, Vidal afastou. No lance seguinte, Éverton recebeu de costas na área, protegeu para o chute de Cícero e a bola explodiu na zaga. A partida estava fadada à prorrogação.
Prorrogação com drama
Ela veio, com o Tricolor no cangote da zaga do Independiente, entretanto sem conseguir romper o bloqueio defensivo. Aos 3, Luan ganhou no meio e correu para o ataque. Abriu grande bola para Jael. O centroavante disparou o chute cruzado, mas mandou para fora.
Dois minutos depois, Jael perdeu a oportunidade do jogo. Maicosuel disparou na direita e achou um grande cruzamento. Jael saltou livre na marca do pênalti e torneou no capricho. Faltou estrela: a bola explodiu no travessão.
Ao se atirar para o ataque, o Grêmio levou aquele susto aos 11 minutos. Paulo Miranda errou o desarme na direita e foi superado por Benitez. Tentou o carrinho e ficou estirado no chão. Benítez fez o cruzamento na risca da pequena área e só não foi gol porque Romero furou em bola. Intervalo da prorrogação e ainda nada do placar mudar.
Começou a parte final do tempo estendido e logo veio a chance do Grêmio marcar. Luan foi derrubado perto da meia-lua e Jael se posicionou para bater. O centroavante bateu forte, a bola desviou na barreira e Campaña quase foi traído. Conseguiu encostar com a ponta dos dedos e evitar o gol.
Aos 5 minutos, Jael fez duas grande assistências e nenhuma foi para o gol. Primeiro, Maicosuel recebeu na área, mas se enrolou na bola e chutou em cima da zaga. No rebote, Jael recebeu na direita e cruzou com carinho, Geromel errou o tempo da bola e Cícero não alcançou no segundo pau.
Só que o Independiente também perdeu chance incrível aos 9 minutos. Gaibor cobrou escanteio e a bola sobrou livre para Meza. Com o gol todo aberto, o argentino cabeceou cruzado e passou por todo mundo sem entrar.
Penalidades perfeitas para espantar o bruxo
A maior bruxaria do Independiente, entretanto, era o goleiro Campaña. Aos 15 minutos, Maicosuel recebeu na intermediária, fugiu de dois marcadores e chutou cruzado. Tinha tudo para ser gol, mas o goleiro fez a defesa. Era hora dos dramas dos pênaltis.
Só que o Tricolor estava afiadíssimo e acertou todas as suas cobranças. Maicon, Cícero, Jael, Éverton e Luan bateram com perfeição, sem chances para o destaque da partida Campaña. O Independiente espetava de volta, guardando quatro gols. Coube a Marcelo Grohe virar ídolo. Na última cobrança, ele saltou certeiro e defendeu para cair no gramado. Campeão, já com braços abertos e comemorando mais título.
Recopa Sul-Americana
Grêmio 0 (5)
Marcelo Grohe; Leonardo Moura (Paulo Miranda), Pedro Geromel, Kannemann e Cortez (Lima); Jaílson (Jael), Maicon, Alisson (Maicosuel), Luan e Everton; Cícero. Técnico: Renato Gaúcho.
Independiente 0 (4)
Martín Campaña; Bustos (Jonás Gutiérrez), Alan Franco, Amorebieta e Gastón Silva; Gaibor, Domingo, Meza e Diego Rodríguez (Martín Benítez); Menéndez (Silvio Romero) e Leandro Fernández (Figal). Técnico: Ariel Holan.
Árbitro: Enrique Cáceres (Fifa/Paraguai).
Cartões amarelos: Alisson, Pedro Geromel, Paulo Miranda (Grêmio); Diego Rodríguez, Gastón Silva, Gaibor (Independiente).
Cartão vermelho: Amorebieta (Independiente).
Público: 40.009 pagantes (42.921 total).
Local: Arena.

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Inter vence o Remo de virada e avança na Copa do Brasil 2018 Leandro Damião e Edenilson marcaram os gols colorados no 2 a 1 no Mangueirão

O Inter venceu o Remo por 2 a 1 de virada na noite desta quarta-feira no Mangueirão e garantiu vaga na terceira fase da Copa do Brasil. Os gols da partida foram marcados no primeiro tempo. Felipe Marques abriu o placar para o time paraense, mas Leandro Damião e Edenilson viraram para garantir a classificação colorada.
Classificado, o Inter agora aguarda pelo vencedor do confronto entre Criciúma e Cianorte para saber quem vai enfrentar na terceira fase. A primeira partida será no Beira-Rio no dia 28 de fevereiro e a volta, fora de casa, em 14 de março
O jogo
Sem poder contar com William Pottker, lesionado, o técnico Odair Hellmann optou por mexer o mínimo possível no time e escalou o uruguaio Nico López aberto pelo lado direito. Com o esquema 4-2-3-1 mantido, o Inter tentou impor seu ritmo de jogo desde os primeiros minutos no Mineirão.
O cenário do começo da partida era bem definido. O Inter no campo de ataque tentando propor o jogo enquanto o Remo esperava e apostava nas bolas longas para o contra-ataque. E dessa forma, o time paraense chegou ao gol logo aos 18 minutos. Felipe Marques recebeu às costas de Dudu, cortou Klaus e bateu. A bola ainda desviou no zagueiro colorado e matou o goleiro Marcelo Lomba,1 a 0.
O Inter respondeu bem ao gol do Remo. Sem se abater e com D’Alessandro chamando o jogo, o Colorado foi em busca do empate, que não demorou para vir. E teve a participação do argentino. Aos 24 minutos, D’Ale bateu uma falta rápida para Iago, que cruzou na medida para Leandro Damião empurrar para o fundo do gol. O centroavante quebrou o jejum de gols em 2018 e igualou o marcador para o time gaúcho, 1 a 1.
Damião teve a chance de fazer o segundo logo na sequência. Após mais uma boa participação de Iago, que cruzou na medida, o centroavante não conseguiu colocar força no desvio e Vinícius fez a defesa.
A virada colorada, porém, não demorou. Aos 29, após mais uma jogada pelo lado esquerdo, o Inter teve chances com Nico López e Leandro Damião, que foram travados, mas a bola sobrou para Edenilson, que livre dentro da pequena área, estufou as redes e virou a partida: 2 a 1.
Após a virada, o Inter passou a tocar mais a bola e administrar o jogo. Antes do intervalo, o Victor Cuesta chegou a marcar o terceiro, mas teve o gol anulado por falta de Leandro Damião no meio da área na origem do lance.
Ritmo diminui, mas Inter segura a vantagem
Com a vantagem, o Inter voltou para o segundo tempo sem mudanças. No Remo, o técnico Ney da Matta sacou o volante Geandro, que tinha amarelo, e mandou Dudu a campo. Logo aos 9 minutos, ele já fez outra troca: Adenilson no lugar do lateral Levy, que tinha acabado de furar em bola e ceder escanteio para o Inter. No lance, D’Ale bateu, Klaus desviou, mas não conseguiu acertar o alvo.
O Inter conseguiu ter o controle do jogo nos primeiros minutos do segundo tempo. O que faltou ao time de Odair Hellmann foi profundidade nas jogadas. Em uma rara jogada com infiltração, Edenilson tabelou com Damião e apareceu para chutar, mas mandou para fora aos 19 minutos. Com o cronômetro chegando aos 25 minutos, Odair Hellmann fez a primeira mudança no Inter. Gabriel Dias foi chamado para o lugar de Dudu. Com isso, Edenilson foi deslocado para a lateral-direita.
Na parte final do segundo tempo, os jogadores do Inter começaram a mostrar desgaste. O ritmo do time caiu e permitiu ao Remo sua primeira chance na segunda etapa. Aos 30 minutos, Fernandes arrancou com a bola dominada, passou pela marcação de Dourado e chutou uma bola que passou à direita do gol de Marcelo Lomba.
O Inter voltou a levar perigo ao 36 minutos, quando Uendel combinou jogada com Nico López e apareceu na área para finalizar, mas acabou travado na hora do chute. Na sequência, Patrick também sentiu dores e foi substituído. O garoto Juan foi chamado para entrar na equipe.
Nos minutos finais, o Inter tratou de segurar o resultado e conseguiu controlar o Remo. A única chance do time paraense veio em falta cometida por Nico López na entrada da área aos 40 minutos, mas Esquerdinha bateu por cima do gol. Juan ainda teve uma bola para marcar o terceiro, mas o goleiro Vinícius conseguiu fazer a defesa. Antes do apito final, Nico López ainda foi expulso por acúmulo de amarelos. Final de partida: Remo 1 x 2 Inter.
Copa do Brasil 2018 - Segunda fase
Remo - 1
Vinícius; Levy (Adenilson), Mimica, Bruno Maia e Esquerdinha; Felipe Recife, Geandro (Dudu), Jéferson Recife (Elielton), Fernandes; Felipe Marques e Isac. Técnico: Ney da Matta.
Inter - 2
Marcelo Lomba; Dudu (Gabriel Dias), Klaus, Cuesta e Iago; Dourado, Edenilson, Nico, Patrick (Juan) e D'Alessandro; Leandro Damião. Técnico: Odair Hellmann.
Gols: Felipe Marques (18min/1T); Damião (24min/1T), Edenilson (29min/1T)
Cartões amarelos: Felipe Recife, Geandro (REM); Edenilson, Klaus, Patrick, Gabriel Dias (INT)
Cartão vermelho: Nico López (INT)
Árbitro: Marcelo de Souza (SP)
Local: Belém

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Inter empata com o São Paulo num jogo ruim em Rio Grande O Colorado desperdiçou as poucas chances e foi pressionado na partida encerrada em 0 a 0

Inter e São Paulo de Rio Grande ficaram longe do bom futebol neste domingo no Aldo da Puzzo. Os donos da casa mostraram mais vontade e presença ofensiva, mas com pouca qualidade. Os reservas colorados estacionaram na falta de inspiração. O resultado ficou mesmo num 0 a 0 sem brilho.
O resultado mantém o Inter na liderança, com 16 pontos, mas com jogos a mais que o Caxias, que está dois pontos atrás. O São Paulo chega a cinco pontos e é o décimo, primeiro fora da zona de rebaixamento. Agora, o Colorado mira a Copa do Brasil, já que enfrenta o Remo na quarta-feira.
A primeira etapa ficou marcada por baixa qualidade técnica, passes errados e pouquíssimas chances de gol. A melhor delas foi do São Paulo, mas ainda assim parou fraca nas mãos de Marcelo Lomba.
Os reservas colorados tiveram dificuldades de se livrar da marcação dos donos da casa e quem ameaçou mais, nas bolas longas e contragolpes, foi a equipe do técnico Claiton. A primeira dessas chances veio com Pedro, aos 7 minutos. Ele subiu mais que todos no segundo poste, mas desviou sobre o gol.
Os comandados de Odair Hellmann responderam aos 13, mas com um chute de fora da área. Ruan disparou na direita e cruzou, a zaga afastou e Charles emendou de primeira, mas acima do travessão. Só aos 19 é que Brandão dominou no peito e chutou de primeira dentro da área, mas pegou fraco e parou nas mãos do goleiro do Inter. Depois disso, a inpiração caducou por longos minutos.
Aos 32, o São Paulo voltou a testar a atenção colorada em jogada aérea. Pedro desviou bola cruzada na pequena área. Passou de Marcelo Lomba e percorreu a linha do gol. Uendel tirou na hora certa para evitar o gol.
Três minutos depois, Roger perdeu a melhor chance do Inter. Camilo fez bom lançamento na esquerda. O centroavante superou a marcação e tentou o chute colocado, mas com pouco ângulo. O goleiro Nicolas fez o desvio para tiro de meta. Zero a zero sem maiores cerimônias na etapa inicial.
A segunda etapa voltou com a mesma tocada da primeira. A diferença foi que o Inter finalmente criou alguma chance, mas parou no goleiro Nicolas. No primeiro minuto, contudo, foi o São Paulo que ameaçou a meta do Marcelo Lomba. Diguinho se livrou da marcação e cruzou na área, Ruan trombou com Lomba e quase sobrou para Brandão. O lateral conseguiu consertar e tirar o perigo dali
A melhor oportunidade do Inter veio aos 5 minutos. Nico López recebeu boa bola de Uendel na entrada da área. O atacante teve tempo de enquadrar o corpo e disparou um balaço. Nicolas voou para espalmar no ângulo esquerdo.
Depois do início movimentado, um deserto ofensivo dominou por 20 minutos. Aos 24 foi Tiago Silva que quebrou o silêncio, forçando grande defesa de Lomba. O atacante do São Paulo disputou com Moledo e Thales no corpo, levou a melhor e chutou da pequena área. O goleiro do Inter surgiu em cima do lance para abafar.
Na resposta colorada, Gabriel Dias perdeu chance daquelas difíceis de digerir. Lançado na área, ele errou o domínio. Só que a bola bateu nas costas do zagueiro e voltou na marca do pênalti. Com toda a meta à disposição, ele chutou em cima do goleiro Nicolas.
Daí até o final, o que de melhor aconteceu foi um lance com o pé de Marcelo Lomba. Aos 37, Moledo recuou apertado e o goleirão fez um drible seco em Paraíba, deixando o rival sentado na grande área. Empate sem gols e um pontinho para cada lado pela apresentação.
Gauchão - 8ª rodada
São Paulo 0
Nicolas; Jefferson Falcão, Pedro, Gullith e Anderson Pico; Leanderson, Diguinho, Tom e Diogo; Janderson e Brandão. Técnico: Claiton.
Inter 0
Marcelo Lomba; Ruan, Rodrigo Moledo, Thales e Uendel; Gabriel Dias, Charles, Juan Alano, Camilo e Nico López; Roger. Técnico: Odair Hellmann .
Árbitro: Anderson Daronco.
Local: estádio Aldo Dapuzzo

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Com time reserva, Grêmio joga mal e perde para o Veranópolis por 2 a 1 O Tricolor segue em situação complicada no Campeonato Gaúcho 2018

O Grêmio poupou os titulares e os reservas, assim como já havia acontecido com o time de transição, não deram conta do recado. Com uma atuação ruim, o Tricolor acabou derrotado pelo Veranópolis por 2 a 1 na noite deste sábado pelo Campeonato Gaúcho. Felipe Mattioni, com um golaço, e Bertotto, marcaram para o VEC enquanto Thonny Anderson anotou o gol gremista.
Com a derrota, o Grêmio para nos quatro pontos e voltou para a zona de rebaixamento, longe da zona de classificação para a segunda fase. Já o Veranópolis vai a 11 e fica perto de garantir uma vaga nas quartas de final. O Tricolor volta a campo na quarta-feira, às 21h45min, para enfrentar o Independiente na partida de volta da Recopa. Pelo Campeonato Gaúcho, o próximo compromisso é no sábado diante do Novo Hamburgo na Arena.
O jogo
A partida começou em ritmo lento no estádio Antônio David Farina. Com time reserva e sem contar com um centroavante de ofício à disposição pela lesão de Jael, o técnico Renato Portaluppi apostou no meia Thonny Anderson como homem mais avançado. Com ele, Lima, Michel, Ramiro e Thaciano, o Tricolor teve bastante posse de bola no começo da partida, mas poucas jogadas de infiltração para finalizar.
O Veranópolis iniciou o jogo esperando o Grêmio. A equipe da Serra, mesmo em casa, se postou no seu campo. O Tricolor chegou a ter 78% de posse de bola nos primeiros 20 minutos, mas só conseguiu finalizar com perigo uma vez. Após passe de Lima aos 12, Alisson dominou na entrada da área e chutou uma bola com curva que passou perto do travessão.
Sem conseguir criar, o Grêmio errou na sua defesa e pagou caro. Aos 27 minutos, Bressan afastou mal a bola com o pé esquerdo. O zagueiro do Grêmio deu azar, pois a bola sobrou para Felipe Mattioni, que dominou e acertou um chute de rara felicidade. Bom força e efeito, a bola entrou no ângulo esquerdo de Paulo Victor, que nada pode fazer, 1 a 0.
O gol fez o Grêmio se perder na partida. A equipe perdeu até mesmo o controle de meio-campo que tinha na primeira parte do primeiro tempo e quase foi para o intervalo em uma desvantagem ainda maior. Aos 32, o Felipe Mattioni só não fez o segundo gol graças a Paulo Miranda, que apareceu quase em cima da linha para tirar a bola que já tinha vencido Paulo Victor.
O Grêmio voltou no intervalo com o garoto Vico no lugar de Thaciano. Com isso, Ramiro foi recuado para atuar como volante ao lado de Michel. Em vantagem, o VEC iniciou o segundo tempo recuado tentando segurar o resultado, mas não conseguiu por muito tempo.
Como muitas vezes aconteceu em 2017, a mexida de Renato deu resultado. Logo aos 7 minutos, Vico recebeu na entrada da área e tocou para Thonny Anderson, que girou sobre a marcação e, com calma, finalizou no canto esquerdo para empatar, 1 a 1.
O problema para o Grêmio foi que o VEC respondeu de forma rápida. Aos 10, Felipe Mattioni bateu falta do lado direito, Bertotto ganhou da defesa e cabeceou para colocar o time da Serra novamente. O goleiro Paulo Victor ainda deu um tapa na bola, mas não foi o suficiente para impedir o gol, 2 a 1.
Logo após o segundo gol do VEC, Renato mexeu mais uma vez no time do Grêmio. Maicosuel foi chamado para fazer sua estreia no lugar de Lima, que mais uma vez teve atuação apagada. No Veranópolis, Julinho Camargo respondeu com o volante Vinícius no lugar do atacante Talles Cunha.
A estratégia defensiva do Veranópolis deu resultado. Renato ainda fez mais uma troca no setor ofensivo do Grêmio – Dionathã por Thonny Anderson -, mas não foi suficiente. O Tricolor apenas rondou a área do VEC, mas sem conseguir levar perigo ao gol de Reinaldo.
Nem mesmo os quatro minutos de acréscimo dados pelo árbitro Jean Pierre Lima foram suficientes para o Grêmio. O Veranópolis se segurou bem. No último lance do jogo, Reinaldo pegou chute de Dionathã e garantiu a vitória, 2 a 1.
Gauchão 2018 - 8ª Rodada 
Veranópolis 2
Reinaldo; Vinicius Bovi; Rafael Bonfim, Léo Dagostini e Romano; Bertotto, Felipe Mattioni (William Paulista), Eduardinho, Talles Cunha (Fabrício) e Juba; Wesley (Matheus Lagoa). Técnico: Júlio Camargo.
Grêmio 1
Paulo Victor; Leonardo, Paulo Miranda, Bressan, Marcelo Oliveira; Michel, Ramiro, Thaciano (Vico), Lima (Maicosuel), Alisson; Thonny Anderson (Dionathã). Técnico: Renato
Gols: Felipe Mattioni (27min/1°) Bertotto (10min/2T); Thonny Anderson (7min/2T°)
Cartões: William Paulista, Talles Cunha (VEC); Bressan (GRE)
Arbitragem: Jean Pierre Lima vin diesel, auxiliado por Michael Stanislau e Gustavo Marin Schier.
Local: estádio Antônio David Farina

Tamoio Futebol Clube, o Índio Rubro-Negro Viamonense, busca em suas origens a inspiração para avançar apresenta seu novo escudo inspirado no símbolo original de 1944


RESGATANDO AS ORIGENS PARA UM FUTURO BEM PROMISSOR
No ano em que completa 74 anos de história, o Tamoio Futebol Clube, o Índio Viamonense, busca em suas origens a inspiração para avançar. Para simbolizar esse momento especial, o Tamoio apresenta seu novo escudo inspirado no símbolo original de 1944.A nova marca estará presente em todas as peças de divulgação do clube e, aos poucos, começará a aparecer no Estádio Edgard Leitão Teixeira e nos uniformes, bem como a menção à Federação Gaúcha de Futebol, entidade na qual o Tamoio é o único clube viamonense filiado.2018 é um ano especial, é o ano de um Tamoio mais forte! ,Es celeiro de muitos craques do futebol Gaúcho.uma tradição que se renova,para novas vitórias e conquistas.Parabéns e votos de muitos sucessos esportivos para a Diretoria,Jogadores,Torcedores e cidade de Viamão.Belo Distintivo,evoca glórias do passado,e incentiva a glórias no presente e futuro.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

D'Alessandro brilha e comanda virada do Inter sobre o Juventude no estádio Beira-Rio Com assistências do argentino, Colorado bateu rival por 3 a 1 e assumiu liderança do Gauchão 2018

O Inter é líder do Gauchão. E é líder, porque virou o jogo e ganhou do Juventude por 3 a 1, no estádio Beira-Rio, no entardecer desta quinta-feira, pela sétima rodada do Campeonato Estadual. Em um jogo com dois tempos distintos, a equipe colorada dominou o primeiro tempo e teve que se segurar na etapa final até definir o resultado. Nesse meio tempo, Odair ganhou dois problemas, pois Pottker e Danilo Fernandes sentiram lesão.
Com a vitória, o Inter foi a 15 pontos – dois à frente do então líder Caxias, mas com um jogo a mais. O Juventude continuou com cinco pontos, na nona colocação. Os dois times voltam a campo no domingo. Enquanto o Inter vai à Região Sul enfrentar o São Paulo, o Juventude visita seu rival para um Ca-Ju, no Centenário.
Com assistências de D'Alessandro, Inter vira
As duas equipes começaram com propostas bem claras no Beira-Rio. Enquanto o Inter tentava a iniciativa, um Juventude compactado na defesa rechaçava os ataques vermelhos. E, não raro, conseguia escapar para alguma conclusão que acabava por não levar perigo real a Danilo Fernandes.
Foi assim ao longo dos primeiros 13 minutos. Até que houve um primeiro lance que mudou a história da partida. Num balão despretensioso para frente do goleiro Douglas, a bola sobrevoou o meio campo colorado, passou por Cuesta e chegou a Guilherme Queiroz. Com alguma folga da marcação de Klaus e notando Danilo Fernandes adiantado, tocou por cima e abriu o placar para os visitantes.
Seria algo bom para o Juventude se este lance tivesse ocorrido já no finalzinho, porque, depois dele, o Inter apertou de vez a pressão. Aos 15, Leandro Damião não empatou num testaço por questão de centímetros. Mas aos 19 não teve erro. Teve foi surpresa. D'Alessandro cobrou rapidamente o escanteio e tocou rasteiro para Patrick, que completou cruzado e deixou tudo igual.
Quem quis empatar, quis também a virada. E a defesa do Juventude teve mais trabalho, tanto com Pottker pela direita, quanto com Iago e Patrick, pela esquerda. Mas quem quase marcou foi Leandro Damião. Ele recebeu aos 33 e, num giro rápido, virou para chutar forte e rasteiro. A bola saiu ao lado do gol. Em seguida, Dudu bateu com efeito e arrancou um “uh” das arquibancadas. O quase virou gol no minuto seguinte. D'Alessandro pifou Iago, que entrava com velocidade na área. O lateral bateu forte e cruzado e correu para comemorar seu primeiro gol como profissional do Inter.
Juventude cresce no segundo tempo, mas D'Ale faz nova assistência
O Inter até chegou a esboçar um ataque de pressão logo que as equipes voltaram do intervalo. Mas não demorou para o Juventude tomar conta do jogo ainda no começo do segundo tempo. Com as entradas de Capini e Vidal nos lugares de Felipe Lima e César Martins, o time da Serra recuperou a posse de bola e, pouco a pouco, foi avançando as duas linhas.
A posse de bola não tardou para se transformar em pressão. Ainda que um tanto quanto desorganizada, porém com a equipe da Serra próxima à área defensiva do Inter, como até então não tinha acontecido. Aos 5, os visitantes conseguiram seu primeiro lance de perigo. Num cruzamento aos 5, Danilo Fernandes catou borboleta e Ricardo Jesus cabeceou ao lado do gol.
Se falhou no primeiro lance, o goleiro colorado se redimiu em seguida. Aos 16, em grande troca de passes, Jesus – de letra – pifou Queiroz, que ficou cara a cara com Danilo. O atacante chutou firme e não correu para o abraço, porque o camisa 1 fez a defesa. Mal deu para respirar e o Juventude chegou forte outra vez. Vidal recebeu na entrada da área pela direita e buscou o canto. Danilo voou e de novo evitou o empate.
A situação colorada pareceu que iria piorar aos 32. William Pottker desabou no chão com a mão na coxa depois de tentativa de ataque. Teve que dar lugar a Nico López. Aí brilhou a estrela do uruguaio. Numa chegada do Juventude, Dudu conseguiu cortar na defesa e a bola caiu para ele, que avançou ao longo da faixa direita do campo até tocar para D'Alessandro. O argentino deu poucos passos e devolveu a bola para Nico, já dentro da área. O camisa 7 dominou e deu um toque para deslocar Douglas, anotando o terceiro gol colorado.
Gauchão - 7ª rodada
Inter 3
Danilo Fernandes; Dudu (Gabriel Silva), Klaus, Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado (Wellington Silva), Edenilson, William Pottker (Nico López), D'Alessandro e Patrick; Leandro Damião. Técnico: Odair Hellmann
Juventude 1
Douglas; Vinícius, Fred, César Martins (Vidal) e Pará; Sananduva, Guilherme (Denner), Fellipe Matheus e Queiroz; Felipe Lima (Caprini) e Ricardo Jesus. Técnico: Antônio Carlos Zago
Gols: Guilherme Queiroz (14/1), Patrick (19/1), Iago (42/1), Nico López (34/2)
Cartões amarelos: Iago, Cuesta; Queiroz 

Grêmio sai na frente, mas empata com o Independiente pela Recopa 2017 O Tricolor não conseguiu aproveitar vantagem numérica e cedeu 1 a 1 para argentinos

O Grêmio teve muitas dificuldades contra o Independiente, mas volta para a Porto Alegre com um empate combativo pela Recopa. Diante de uma pressão de 35 mil torcedores, o Tricolor chegou a abrir o placar na noite desta quarta-feira, teve um homem a mais durante grande parte da partida, mas cedeu o empate no abafa dos hermanos no estádio Libertadores de América, em Avellaneda.
A taça da Recopa fica com quem vencer na próxima quarta-feira, na Arena. Não há saldo qualificado e, persistindo o empate, o título pode ser definido na prorrogração ou nos pênaltis. 
Pressão argentina
O Tricolor sofreu imensa pressão do Rei de Copas na primeira etapa. Os argentinos criaram muito mais chances, mas os gremistas aproveitaram um lance de craque de Luan para abrir o placar. A expulsão de Gigliotti colocou fogo na partida e, empurrado pela torcida, o Independiente buscou o empate mesmo com um jogador a menos.
Os primeiro minutos tiveram o time da casa empilhando oportunidades, mas parando na trave e nas mãos de Marcelo Grohe. Aos 11 minutos, Domingo quase marcou um golaço após Kannemann rebater chute de Gigliotti. A bola sobrou e o volante encheu o pé, tirando tinta do ângulo esquerdo.
A bola aérea também era sofrida, com muita vantagem para os hermanos. Aos 16, Meza desviou de cabeça no segundo pau, a bola passou por Grohe, mas explodiu na trave esquerda. Três minutos depois, Meza fez jogada individual e deixou Benitez na cara do gol. O atacante furou em bola, direto em tiro de meta.
E foi na hora do Independiente que entrou em cena o talento e a esperteza de Luan. Ele aproveitou bola mal recuada por Amorebieta e fez o desarme. Conduziu entre dois e bateu na saída do goleiro. A bola foi entrando de devagarzinho para o 1 a 0, enquanto o Libertadores de América silenciava brevemente.
Porém durou segundos e já estava gritando de novo. O vozerio piorou aos 26 minutos, em meio a xingamentos e reclamações. Gigliotti deu um cotovelaço em Kannemann, que desabou. O árbitrou deu amarelo inicialmente, só que foi acionado o árbitro de vídeo, que corrigiu para agressão e cartão vermelho.
Os hermanos foram para a guerra e a marcação tricolor não encaixou mais, mesmo com vantagem numérica em campo. Benitez já testou o coração gremista aos 29, com um chute forte da direita em tiro de meta. Aos 32, porém, a bola parada foi mortal para o Tricolor. Gaibor cruzou forte, Cortez desviou na marca do pênalti e tirou de Marcelo Grohe. Gol contra e igualdade no placar, em 1 a 1.
Sem aliviar, o Independiente acumulou escanteios e fez a zaga gremista se virar. Marcelo Grohe não precisou fazer qualquer defesa, mas agradeceu o fim da fumaceira com o apito para o intervalo.
Grêmio volta melhor
Renato trocou Lima por Alisson nos primeiros minutos do segundo tempo e deu nova postura ofensiva para o time. O Tricolor não conseguiu impor uma pressão nos argentinos, mas começou a criar.
Logo aos seis minutos, perdeu grande chance para desempatar. Éverton escapou no contragolpe e cruzou da direita. Cícero recebeu no lado esquerdo e chutou forte. A bola desviou para Luan, que chutou no rebote, mas dividiu com Campaña.
Luan tentou de novo aos 13. Recebeu passe de Maicon na intermediária e chutou forte, mas em cima de um zagueiro argentino. Alisson deixou Éverton na cara do gol, aos 16, mas faltou alguns centímetros de perna para o baixinho empurrar o 2 a 1 nas redes.
A essas alturas, o Independiente mostrava desgaste, apesar de fazer duas trocas, com Fernández e Gutierrez. Formou as duas linhas de quatro e tentava especular nos contragolpes. Com isso, o Tricolor perdeu chance num cabeceio de Cícero, aos 22 e, depois, parou nas mãos de Campaña. Geromel tocou para Luan, que lançou Cícero na cara do gol. o meia chutou, mas o goleirão argentino abafou.
Renato ainda mandou Maicosuel e Jael para campo, nos lugares de Éverton e Cícero. Numa combinação da dupla, por pouco o Tricolor não gerou grande chance. Jael fez a parede e lançou Maicosuel, mas o estreante foi parado com falta quando corria para a área. Apito final e 1 a 1 combativo no Libertadores de América.
Recopa Sul-Americana
Independiente 1
Campaña; Bustos (Figal), Alan Franco, Amorebieta e Gastón Silva; Gaibor (Jonás Gutiérrez), Domingo, Meza e Martín Benítez (Leandro Fernández); Menéndez e Gigliotti. Técnico: Ariel Holan.
Grêmio 1
Marcelo Grohe; Leonardo Moura, Pedro Geromel, Kannemann e Cortez; Jaílson, Maicon, Lima (Alisson), Luan e Everton (Maicosuel); Cícero (Jael). Técnico: Renato Portaluppi.
Gols: Luan (21min/1ºT), para o Grêmio; e Cortez (32min/2ºT contra), para o Independiente.
Cartões amarelos: Domingo, Leandro Fernández, Amorebieta (I); Léo Moura, Pedro Geromel, Alisson (G).
Cartão vermelho: Gigliotti (I).
Árbitro: Roddy Zambrano Olmedo.
Local: Estádio Libertadores de América, em Avellaneda.