RNVW Player Ao Vivo

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Grêmio enfrenta o Goiás nas oitavas de final da Copa do Brasil Tricolor estreia no dia 25 e Vai fazer a partida de volta dia 9 de maio

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou  no início da tarde nesta sexta-feira, , os mandos de campo das partidas das oitavas de final da Copa do Brasil. O Grêmio inicia a disputa no dia 25 de abril no estádio Serra Dourada. A partida de volta na Arena está marcada para o dia 9 de maio.
Para chegar às oitavas, os goianos superaram o Sinop-MT, por 1 a 0, na primeira fase. Na segunda, passaram nos pênaltis pelo Boa Esporte-MG, por 6 a 5, depois de 0 a 0, no tempo normal.
Na terceira fase, o adversário foi o Coritiba. Em casa, no primeiro jogo, empate em 1 a 1. Na volta, no Couto Pereira, o Goiás venceu por 1 a 0. Para se credenciar a ser o adversário do Grêmio, a equipe passou pelo Avaí na quarta fase. Em Florianópolis, 2 a 2. Na partida decisiva, no Serra Dourada, 2 a 0 para os goianos.
“É muito cedo para falar neste confronto. É degrau a degrau. Jogo a jogo, mas pegamos o Goiás. Não tem jogo fácil, seja na Copa do Brasil, no Campeonato Brasileirão ou na Libertadores”, declarou o técnico Renato em entrevista coletiva nesta manhã.
• Confira os demais mandos de campos dos jogos de ida
25/04 - Vitória x Corinthians (volta confirmada para o dia 9/05)
25/04 - Goiás x Grêmio (volta confirmada para o dia 9/05)
América-MG x Palmeiras
Ponte Preta x Flamengo
Bahia x Vasco
Atlético-MG x Chapecoense
Atlético-PR x Cruzeiro
Santos x Luverdense 

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Inter sucumbe ao Vitória, perde e está fora da Copa do Brasil 2018 So Sobra O Gremio na Copa do Brasil 2018 Time colorado levou 1 a 0 no tempo normal e foi derrotado nos pênaltis Por 4 A 3 na Boa Terra Baiana

O Inter está eliminado da Copa do Brasil. Mesmo jogando contra um adversário tecnicamente inferior, a equipe colorada sucumbiu a um jogo truncado e à pressão do Vitória na noite desta quinta-feira, no Barradão, em Salvador. Os comandados de Odair Hellmann perderam por 1 a 0 no tempo normal, resultado que forçou a decisão por pênaltis, quando os donos da casa levaram a melhor por 4 a 3.
Sem ter outra competição pelo resto da temporada, o Inter volta campo no próximo domingo, pelo Brasileirão. Terá pela frente o Palmeiras, em São Paulo, pela segunda rodada.
Jogo truncado
Em um jogo muito truncado, o Inter deixou o tempo passar ao longo do primeiro tempo. Diante de um rival um tanto desorganizado e um clima adverso de gramado pesado devido à chuva, a equipe colorada tratou de não apressar o confronto, deixando o tempo passar, já que o 0 a 0 classificava.
Aguardando, surgiu a primeira chance. Depois de bobeada da defesa baiana, William Pottker roubou a bola na ponta esquerda. O goleiro Caíque deixou a meta e se esticou para evitar o que seria um gol de cobertura. No rebote, o camisa 1 voltou a aparecer e, desta vez defendendo com o pé, manteve o placar zerado depois do chute de Nico López.
Mas a defesa colorada não estava imune a falhas. Também num erro de base no campo defensivo, a defesa deu ao Vitória uma de suas melhores oportunidades, aos 34. Pela esquerda, Rhayner invadiu a área e, após bate-rebate, Denilson chutou em cima de Moledo e a bola foi para fora. Na sequência, os donos da casa conseguiram dois escanteios, no seu momento de maior pressão.
O Inter voltou a carga depois do susto. Aos 37, Cuesta lançou Pottker na ponta esquerda. Ele deixou o zagueiro na saudade, cortou para dentro e chutou. Mas pegou fraco na bola, fácil para Caíque segurar. A resposta do Vitória veio aos 41, quando Neilton recebeu no bico da grande área e tentou o ângulo. Mandou para fora. Os colorados adiantaram a marcação nos últimos minutos e, depois de troca de passes no campo ofensivo, Patrick rolou para Nico López, na entrada da área. O uruguaio mandou a centímetros da trave, no último lance do primeiro tempo.
Vitória cresce, tem pênalti e vence
Rodrigo Moledo nem voltou do vestiário. Sentindo um desconforto na coxa esquerda foi substituído por Klaus. E o zagueiro teve trabalho em seus primeiros minutos em campo, quando o Vitória tentou apertar o cinto. Sorte colorada que a pressão seguia pouco efetiva. Ainda assim, aos 6, Denilson conseguiu entrar na área por entre a defesa. Ele bateu forte, cruzado e rasteiro, mas Marcelo Lomba mostrou reflexo e caiu para espalmar.
Depois do susto, o Inter acordou e voltou a deixar o jogo truncado. No entanto, o Vitória cresceu de novo e quase chegou ao gol aos 19, depois de contra-ataque. Juninho cruzou fechado da esquerda, Lomba e Cuesta fizeram o corte e de luz e, Denilson conseguiu colocar o pé. Para a sorte da defesa, a bola apenas carimbou a trave.
Em meio à pressão rubro-negra, Odair trocou Pottker por Marcinho. Deu um respiro. Por meio de jogada dele que o Inter deu seu primeiro chute a gol no segundo tempo, aos 27. Na sequência, D'Alessandro teve falta para cobrar perto da área. Mandou para cima. Foi apenas um respiro. O Vitória aumentou a pressão em seguida, diante de uma defesa que se mostrava insegura. O pior aconteceu aos 34: o árbitro marcou pênalti de Iago em Denilson. No minuto seguinte, Neilton cobrou no canto oposto de Marcelo Lomba e o Vitória vencia por 1 a 0.
Após o gol, Odair sacou D'Alessandro e mandou Camilo a campo. E o meia quase marcou em seus primeiros minutos em campo. Cobrou falta de longe aos 40 e obrigou Caíque a uma grande defesa. Depois disso, os colorados até se mantiveram no campo de ataque, porém sem criar chances e a decisão foi mesmo para os pênaltis.
Caíque sorri por último
Nas cobranças dos pênaltis, o futebol redimiu Caíque – que falhara bisonhamente no primeiro jogo. O goleiro do Vitória cresceu e defendeu duas penalidades – de Nico López e Gabriel Dias. Marcelo Lomba pegou apenas uma e o Vitória eliminou o Inter ao vencer por 4 a 3.
Copa do Brasil - 4ª fase
Vitória 1 (4)
Caíque; Rodrigo Andrade (Zé Welison), Kanu, Ramon e Juninho; Willian Farias (Nickson), Uillian Correia, Yago (Guilherme) e Rhayner; Denilson e Neilton. Técnico: Vagner Mancini
Inter 0 (3)
Marcelo Lomba; Fabiano, Rodrigo Moledo (Klaus), Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Gabriel Dias, D'Alessandro (Camilo) e Patrick; Nico López e William Pottker (Marcinho). Técnico: Odair Hellmann
Gol: Neilton (35/2)
Cartões amarelos: Yago, Rhayner; Patrick, William Pottker, D'Alessandro, Iago
Arbitragem: Rafael Traci, auxiliado por Pedro Martinelli e Adriano Miczvski (trio paranaense)
Público: 5.986 torcedores no Barradão, em Salvador na Bahia

OS AMISTOSOS DO TIME DO TAMOIO DE VIAMAO NOS SUB 15 E SUB 17

Na quarta-feira, dia 11/04, O Tamoio visitou a equipe do Sesc POA, que tambem disputará o Gauchão Sub 15 e Sub 17 para amistoso preparatório as competições de 2018. Na preliminar, as 14 hs, as equipes Sub 15 fizeram um jogo muito disputado, onde Sesc abriu o placar no inicio do primeiro tempo com belo chute da entrada da area. Mesmo com reves no placar, o Tamoio manteve seu ritmo, e teve boas chances, inclusive acertando a trave da equipe mandante, e tendo um gol bem anulado por impedimento. No segundo tempo o rubro-negro conseguiu a virada com gols de Edu Rodrigues e Silvio Jr de pênalti, fechando o placar em Sesc 1 x 2 Tamoio. O Técnico Lucas Vaz gostou do teste: "O Sub 15 foi primeiro teste deles, contra uma equipe q tbm vai jogar Gauchao... Intensidade alta do jogo.. Tiveram bom comportamento tático... Jogadas individuais tbm... Foi bem interessante, principalmente por ser um teste forte c equipe q tbm jogara a competição da FGF, onde demonstraram poder de reação com placar adverso".
Escalação do Sub 15: André; L. Barcelos, Brayan, M. Oliveira e Victor; Mikael e Silvio ; Luquinhas, Diogo e Pacheco; Iago. Banco: Léo, Jean Santos, Bruno Lopes, Fernando, Edu Rodrigues, Joao Pedro, M. Coelho e Peterson
No jogo de fundo, as categorias Sub 17 fizeram mais uma bela partida para o publico que conpareceu ao Sesc Campestre. As equiçes fizeram um jogo equilibrado, com chances de gol para ambos lados, mas sem sucesso para os atacantes. O Tamoio demonstrou maturidade de sua equipe, e teve mais volume de jogo, ao final da partida pressionou e chegou perto do gol em jogadas de bola parada. O Sesc assustou também após um contra-ataque bem trabalhado, e em uma falta bem cobrada pelo ex-RubroNegro Sorriso. N o final, o 0 x 0 foi justo.
Escalação Sub 17: Fernando, G. Campos, Phillipe , Luan e Victor; Jacques, Guerra, Matheus Binn e Lucas; Joao Pedro e Alvair. Banco: Willian Bastos, Gustavo, Crystian, Robson, Everton, Andrei e Alessandro
Muitos gols na tarde do último Domingo na Baixada!!!
Os Torcedores presentes no Estádio Edgard Leitão Teixeira viram dois belos jogos entre Tamoio e Sul Brasileiro - tradicional clube de Osório - e muitos gols.
No primeiro jogo, as categorias Sub 15 fuzeram uma partida equilibrada e o empate resumiu bem a partida, que terminou empatada em 2 x 2. O Técnico Lucas Vaz ficou satisfeito com rendimento da equipe: "Foi um jogo muito produtivo para sequência do trabalho, colocamos em campo s meninos que nao jogaram na quarta diante do SESC, e a respista foi muito boa, mantiveram o padrão da equipe titular, e isso demonstra que temos um grupo homogêneo para as competições" falou o treinador.
Os gols do Sub 15 foram do Centroavante Everton Estalagem e Gustavo, destaque da partida.
Tamoio Sub 15: Léo; Ryan, Jean Santos, Pedro e Edu Rodrigues; Fernando e Alberto; Peterson, M. Coelho e Gustavo; Everton Estalagem. Banco: Ricardo; Bruno Lopes, Matheusinho, Ruan, Vitor e E. Riquelme.
No jogo de fundo, a equipe Sub 17 demonstrou superioridade, e mesmo enfrentando um organizado e tradicional adversário, realizou uma grande partida e goleou Sul Brasileiro por 7 x 1. No primeiro tempo, Everton Santos, Wesley e Alvair marcaram p Rubro-Negro. O Centroavante João Pedro ainda desperdiçou um pênalti. Na segunda etapa, a equipe manteve o ritmo, e Alessandro Matta II, Philipe de falta e Matheus Binn (2x) fecharam o placar.
Tamoio Sub 17: Willian Bastos; Robson, Gustavo Farias, Crysthian e Victor; Jacques, E. Santos, Andrei e Alvair; Wesley e João Pedro. Banco: João; Luan, Phillipe, Guerra, Matheus Binn, G. Campos e Alessandro.

Estadual Sub 15 - 2018 Estadual FGF Sub 15 - Classificatória SERAO 14 RODADAS NESTA FASE

SESC X TAMOIO
TAMOIO X PRS
INTER X TAMOIO
TAMOIO X BRASIL DE PELOTAS
CAXIAS X TAMOIO
TAMOIO X ESTANCIA VELHA
PROGRESSO X TAMOIO
TAMOIO X APAFUT
TAMOIO X SAO JOSE
NOVO HAMBURGO X TAMOIO
TAMOIO X SAO PAULO RG
GUARANY VA X TAMOIO
TAMOIO X JUVENTUDE 
ELITE X TAMOIO

A estreia do Time do Tamoio de Viamão / RS - Brasil no Sub 15 sera fora de casa em porto alegre es no Campo do SESC - 06/5/2018 15:00
SESC x Tamoio


quarta-feira, 18 de abril de 2018

Grêmio garante ponto fora em empate complicado com o Cerro O Tricolor teve pênalti negado, mas criou pouco para sair do 0 a 0 Em Assunção No Paraguai.

O Grêmio enfrentou um jogo muito difícil, teve poucas chances de marcar e garantiu um ponto, ao empatar com o Cerro Porteño nesta terça-feira, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores. O 0 a 0 em Assunção ainda teve alguma polêmica com arbitragem, já que o Tricolor teve um pênalti negado e a arbitragem quase não aplicou cartões em meio às inúmeras faltas dos paraguaios.
Com o resultado, a equipe paraguaia mantém a liderança do Grupo 1, com sete pontos, enquanto o Tricolor tem cinco pontos na segunda posição. Em 1º de maio, na Arena, o Tricolor poderá assumir a liderança se vencer a partida.
Grêmio tem primeira chance em meio a caldeirão
O Cerro soube usar o caldeirão em Assunção e complicou a vida do Grêmio na primeira etapa. Os paraguaios aplicaram todos os recursos, transições rápidas, bolas alçadas na área, marcação intensa e muitas faltas. Pelo menos três jogadores poderiam ter sido amarelados, no entanto a arbitragem manteve os cartões no bolso. Quando o Tricolor escapou, foi perigoso, e ainda teve um pênalti sonegado, mas ficou devendo na criação ofensiva.
A primeira chance clara da partida foi gremista. Aos 3 minutos, Ramiro cruzou bola na área e Jael subiu livre para cabecear. Testou firme para o gol, mas Silva fez a defesa. Aos 8, Candia escorregou e foi desarmado por Cícero. O meia lançou Everton na cara do gol, só que o garoto chutou em cima da marcação. A bola desviou e foi com perigo no gol. Silva catou firme.
No contragolpe paraguaio, uma triangulação entregou bola para Candia na meia-lua. Ele rolou para Palau que espetou uma bomba com destino certo. Para sorte tricolor, Kannemann se projetou na frente para desviar.
A partir da metade da etapa, Marcelo Grohe ganhou muito trabalho nos arremates do Cerro. Aos 18, Cortez afastou mal e Cáceres dominou na frente da área. Ele mandou um míssil no canto direito, obrigando o goleirão a espalmar para escanteio. Aos 23, Palau recebeu livre na meia-lua e disparou um chutaço. O goleiro gremista virou muro de novo e desviou.
Churin também teve a chance de longe, aos 32 minutos, mas pegou mal na bola e mandou por cima. Na resposta em alta velocidade do Grêmio, Everton foi lançado na esquerda, deu um toquinho para invadir a área e foi derrubado no carrinho. Penalidade máxima na frente do árbitro, porém o argentino mandou seguir. No intervalo, tudo igual no placar.
Bicicleta de Geromel para na trave
Na segunda etapa, Cerro ensaiou uma arrancada inicial, ainda que sem toda aquela pressão do começo. A parte física pesou, contudo o Grêmio também não teve soluções para abrir o placar. No primeiro minuto, falha defensiva quase gerou o gol paraguaio. Jailson furou em bola, Rodrigo Rojas aparou de voleio na meia-lua, mas isolou. Os gremistas responderam em seguida. Arthur lançou Everton que tocou para Cícero na área. Ele tinha toda a condição para fazer o gol, só que demorou muito para chutar e foi desarmado.
Aos 5, Geromel quase marcou após escanteio. Madson cruzou na área, Silva tirou para o meio da confusão e Geromel aparou de primeira. A bola explodiu na trave esquerda. O 1 a 0 quase veio sem querer, três minutos depois. Ramiro foi lançado no contragolpe, tentou cruzar e quase fez gol. Silva foi encoberto e teve que se esticar para tocar em escanteio.
Mas o Cerro também queria vencer e aos 11 minutos parou apenas em grande intervenção de Grohe. Madson falhou o bote e foi driblado na esquerda, Kannemann furou ao tentar afastar e o goleiro saltou sobre a bola, dividindo com Churín para abafar.
Buscando soluções, Renato mandou Michel e Alisson a campo, nos lugares de Cícero e Arthur na parte final da partida. Aos 32, o atacante participou de uma grande chance. Ele tabelou com Everton e dividiu na frente da área. Sobrou para Cortez com o gol à disposição, porém o lateral chutou torto em cima da marcação.
No final, Thonny Anderson entrou no lugar de Jael e teve uma boa chance de tirar o zero do placar. Ele foi lançado por Everton na área, enquadrou o corpo e chutou cruzado, em cima de Silva. A partida estava destinada ao empate, com a liderança em jogo na Arena.
Libertadores - Grupo 1
Cerro Porteño 0
Antony Silva; Santiago Arzamendia, Marcos Cáceres, Juan Escobar, Raúl Cáceres; Rodrigo Rojas, Marcelo Palau, Hernán Nóvick (Irrazábal), Jorge Rojas (Nelson Valdez); William Candia e Diego Churín. Técnico: Luis Zubeldía.
Grêmio 0
Marcelo Grohe; Madson, Pedro Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Jailson, Arthur (Alisson), Ramiro, Cícero (Michel) e Everton; Jael (Thonny Anderson). Técnico: Renato Gaúcho.
Cartão amarelo: Rodrigo Rojas.
Árbitro: Germán Delfino (Argentina).
Local: estádio General Pablo Rojas, em Assunção (Paraguai).

domingo, 15 de abril de 2018

Nico López sai do banco e comanda vitória do Inter sobre o Bahia Colorado retorna à Série A com três pontos pelo 2 a 0 no Beira-Rio

O acaso consertou a escalação ofensiva do Inter e Nico López comandou a vitória sobre o Bahia, no retorno à Série A do Brasileirão. O uruguaio saiu mais uma vez da reserva e foi a estrela da partida, anotando dois gols e criando várias chances no 2 a 0 que garante os primeiros três pontos colorados. O próximo desafio será pela Copa do Brasil, quinta-feira em Salvador.
O Inter enfrentou um primeiro tempo complicado, contra um adversário enjoado que não se limitou a apenas marcar em seu campo. Apesar dos frequentes erros de passe, o Colorado conseguiu algumas boas triangulações e, numa delas, saiu o gol para arrancar em vantagem.
A primeira chance veio em bola cruzada de D'Alessandro, aos sete minutos. Ele levantou na área, a zaga afastou e William Pottker tentou o chute no rebote, mas carimbou a defesa. O Bahia respondeu quatro minutos depois. Léo mandou na área, Lomba e Iago bateram cabeça e quase sobrou para Edigar Junio na pequena área. Edenilson despachou para longe o perigo.
O Hiato criativo
Depois disso, o jogo caiu de qualidade e as bolas longas viraram tônica, sem resultarem em chances de lado a lado. Apenas aos 25 que o Inter voltou a ameaçar, e na bola parada. D'Ale cobrou escanteio e Dourado desviou de cabeça, mas fraco para defesa de Douglas. A essas alturas, Nico López já estava no gramado no lugar de Rossi, que sentiu lesão.
A mudança involuntária seria essencial para o Colorado, mas apenas na reta final da etapa. Antes, Rodrigo Moledo quase carimbou as redes com um forte cabeceio na bola cruzada por D'Ale. O Bahia ameaçou no contragolpe, aos 33 minutos. Zé Rafael ganhou pelo meio e tentou o chute da meia-lua, explodiu na zaga. Voltou para Elton, que tentou de novo da meia-lua, mas Dourado tirou do jeito que dava.
O Presente de D'Ale, estrela de Nico
Aos 36, o aniversariante D'Alessandro começou a empacotar o presente para a torcida do Inter. Ele mandou para Patrick na área, o volante cruzou rápido e Nico López antecipou para desviar de cabeça, sem chances para o goleiro. Um a zero para o Colorado e alguma tranquilidade para o segundo tempo. E D'Ale quase ampliou aos 44. Pottker recebeu na direita, o goleiro saiu da meta para marcar e ele voltou com inteligência para o capitão. D'Alessandro chutou forte sem goleiro, mas a bola desviou acima da meta, mantendo o placar antes do intervalo.
O Colorado voltou com a vantagem no escore e apostou nos contra-ataques, deixando o Bahia com a bola, mas sem espaços para criar. O resultado foram várias chances de gol. A primeira delas foi com D'Alessandro. Nico tabelou com Fabiano, invadiu a área e a marcação fechou. Ele serviu D'Alessandro na marca do pênalti, mas o argentino chutou por cima na tentativa de colocar no ângulo esquerdo.
O Gol e aTranquilidade
Com a transição rápida, o Inter quase ampliou aos 10 minutos. Pottker levou a melhor na direita, depois de uma furada da zaga e centralizou. Nico recebeu na meia-lua e tentou o chute forte, mas mandou por cima.
Só que o uruguaio, que recebe o convite para a festa sempre atrasado, mas comparece; estava impossível. Ele recebeu na frente da área e acionou Edenilson. O volante devolveu com categoria, de cavadinha, e o atacante uruguaio deslocou o goleiro com um chute de chapa no canto direito, golaço pelo conjunto da obra e 2 a 0 para fazer a festa no Beira-Rio.
Mesmo com a bola, o Bahia só conseguiu ameaçar de longe. Nino Paraíba tentou aos 17. Roubou no meio e experimentou a bomba, mas Marcelo Lomba catou firme. Dois minutos depois, Edigar Junio foi lançado de longe e ganhou da zaga, mas Moledo se recuperou para botar o pé na frente na hora da conclusão.
Quase veio a goleada na reta final da partida. D'Alessandro chegou bem na linha de fundo e cruzou com açúcar para Patrick. Com à meta à disposição, ele pegou embaixo da bola e isolou. O garoto Brenner ainda entrou no lugar de Pottker e quase deixou sua marca. Nico López recebeu na direita, livre, leve e solto, cruzou na pequena área e Brenner desviou com o pé, mas o goleirão Douglas fez o bloqueio. O 2 a 0 estava de bom tamanho para iniciar os trabalhos.
Campeonato Brasileiro 2018 - 1ª rodada
Inter 2
Marcelo Lomba; Fabiano, Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Edenilson, Rossi (Nico López), D'Alessandro (Gabriel Dias) e Patrick; William Pottker (Brenner). Técnico: Odair Hellmann.
Bahia 0
Douglas; Nino Paraíba, Tiago, Douglas Grolli e Léo; Gregore, Elton, Vinícius (Régis), Zé Rafael (Allione)e Marco Antônio (Junior Brumado); Edigar Junior. Técnico: Guto Ferreira.
Gols: Nico López  (36min/1ºT e 15min/2ºT).
Público: 22.235.
Renda: R$ 796.275,00.
Cartões amarelos: William Pottker, Brenner (I).
Arbitragem: Eduardo Tomaz de Aquino Valadão, auxiliado por Fabricio Vilarinho da Silva e Bruno Raphael Pires (trio de Goiás).
Local: Beira-Rio.

sábado, 14 de abril de 2018

Com gol de André,Grêmio vence o Cruzeiro Por 1 A 0 na estreia do Brasileirão O Tricolor dominou as ações ofensivas no Mineirão,mesmo com um a menos no segundo tempo Kannemann és expulso do Jogo

No confronto entre os campeões estaduais, no Mineirão, o Grêmio venceu o Cruzeiro, por 1 a 0, com gol do estreante André. Tanto no primeiro, como no segundo, os comandados de Renato Portaluppi sofreram poucos sustos e dominaram as ações ofensivas. Mesmo com a expulsão de Kannemann, aos 28, da segunda etapa, o Tricolor conseguiu manter o jogo sob seu domínio e garantiu os primeiros três pontos no nacional.
Na terça-feira, o Grêmio vai a Assunção, no Paraguai, para enfrentar o Cerro Porteño, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores. O clube paraguaio é o líder do grupo 1 da principal competição sul-americana com seis pontos, dois a mais que o Tricolor. O jogo está marcado para às 21h30min.
Grêmio domina, mas não cria oportunidades de gols
Mesmo atuando fora da Arena, o Grêmio não se intimidou e partiu para o ataque logo após o apito inicial. Atuando, principalmente, pelas laterais do campo, o Tricolor usava a velocidade para chegar até a área do Cruzeiro. Já os donos da casa, optaram por preencher o meio de campo, para roubar a bola e contra-atacar os comandados de Renato Portaluppi.
Até os 15 minutos, quando o Grêmio tinha 60% de posse de bola, segundo dados do Footstats, apenas duas finalizações para cada time, mas longe da meta de Grohe e Fábio. Quatro minutos depois, a primeira conclusão que teve a direção do gol. Robinho cruzou, após falta pelo lado direito de ataque, da intermediária, Dedé subiu mais alto que a defesa, mas cabeceou fraco, fácil para Grohe.
Neste momento, o jogo seguia equilibrado com a partida se desenvolvendo de intermediária a intermediária. A partir deste lance, Everton passou a ter destaque no setor ofensivo gremista. Marcando pressão a saída de bola do adversário, invadiu a área duas vezes, mas, no momento das conclusões, acabou desarmado.
A primeira bola do Grêmio que foi em direção ao gol dos mineiros ocorreu aos 30. Após escanteio da esquerda de ataque, Cícero cabeceou, próximo a marca do pênalti, na tentativa de achar o centroavante André, mas Fábio ficou com a bola. Até os 40, o Cruzeiro tentou uma pressão, mas sem conseguir superar o sistema defensivo armado por Renato.
O Tricolor pressionou e cercar a área mineira nos minutos finais, mas também não conseguiu furar o bloqueio proposto por Mano Menezes. Com uma posse de bola de 61% e nítido melhor desempenho, o Cruzeiro deixou o gramado sob algumas vaias.
Estreante marca e Kannemann é expulso
Sem força ofensiva, Mano Menezes retirou Rafael Sóbis e colocou Sasá durante o intervalo. Aos dois minutos, o jogador mineiro avançou pelo meio e, na entrada da área, Ramiro roubou a bola. Três depois, Cortez cruzou da esquerda, Ramiro cabeceou e Léo "Beckenbauer" colocou a perna na bola que tinha a direção do gol. Posteriormente, a defesa afastou.
O melhor rendimento do Grêmio se traduziu em gol aos nove. Ramiro fez excelente jogada pela lateral direita, passou pelo marcador e cruzou. Everton desviou de cabeça na direção do segundo poste e André, de carrinho, empurrou para o fundo das redes. Grêmio 1 a 0.
Logo após a bola volta a rolar, Marcelo Grohe fez defesa importantíssima. Thiago Neves recebeu lançamento nas costas da defesa e chutou rasteiro, o goleiro gremista caiu ao solo e empurrou pela linha de fundo.
Aos 15, Everton fez bela jogada individual, pela esquerda, passou por três marcadores e arriscou de fora da área. Fábio saltou e empurrou para a linha de fundo. Quatro depois, o “cebolinha” voltou a chutar da entrada da área, mas, desta vez, a bola bateu em um marcador e passou próximo ao travessão de Fábio.
Mesmo na frente do placar, o Tricolor seguiu insistindo. Aos 28, em um contra-ataque de Arrascaeta, Kannemann fez falta com força excessiva em Arrascaeta e acabou expulso. Inconformado, o argentino reclamou muito do trio de arbitragem, até Renato pedir para que os companheiros tirassem o defensor do gramado. Imediatamente, Bressan entrou na vaga de André. Naquele momento, Paulo Miranda sentia muitas dores musculares pelo longo tempo sem atuar e levava a mão direto a perna.
Com um jogador a menos e atuando fora de seus domínios, o Grêmio recuou um pouco no gramado, mas seguiu com maior posse de bola e atuando no gramado do Cruzeiro. Nos últimos minutos, os mineiros tentaram uma reação, mas, mais uma vez, o sistema defensivo gremista garantiu os três pontos.
Dedé escorou para Arrascaeta, pelo lado direito de ataque, ajeitar e bater rasteiro. A bola passou na frente da meta de Grohe e saiu no lado contrário. Um minuto depois, Mancuello chutou de dentro da área e o goleiro gremista espalmou pela linha de fundo. Nem mesmo os sete minutos de acréscimo foram suficiente para uma reação dos donos da casa.
Campeonato Brasileiro 2018  – 1ª rodada
Grêmio 1
Marcelo Grohe; Léo Moura, Paulo Miranda, Kannemann e Cortez; Arthur, Maicon (Jaílson), Ramiro, Cícero e Everton (Michel); André (Bressan).
Técnico: Renato Portaluppi
Cruzeiro 0
Fábio; Edilson, Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Ariel Cabral (Mancuello); Robinho, Thiago Neves e Arrascaeta; Rafael Sóbis (Sasá). Técnico: Mano Menezes.
Técnico: Mano Menezes
Gols: André (9 min/2 º T)
Cartões amarelos: Ariel Cabral, Dedé e Sasá (C) e Ramiro (G)
Cartões vermelhos: Kannemann (G)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa/PR)
Auxiliares: Bruno Boschilia (Fifa/PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)